" Pastora de núvens fui posta a serviço
por uma campina tão desamparada
que não principia nem também termina,
e onde nunca é noite e nunca madrugada"

Destino - Cecília Meireles





sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

PLUMAS E CORES

 
Caso não aguente o corpo

palavras seguirão a lágrima

do esforço em conseguir

lamentos de vida!

E vida!

Vida reinará por longos murmúrios de dor

porque palavras jamais trará

a força de asas que sobem

contra um ceu de belezas

que deixa por baixo

cantos tristes ao partir!

Partes de um mundo

que brilhou por agulhas

e sorrisos eternos

do que a vida não vai construir

nem nos sonhos

de cores por plumas

que ainda há de vir por ti.







domingo, 9 de dezembro de 2012

Take This Waltz , 2011 ( Entre o Amor e a Paixão)



Sarah Polley

    Sexta -feira sem aula, fim de tarde as moléculas de oxigenio do ambiente me imploram todas por um cinema!  Olhei como quem não quer nada a programação do meu cinema preferido no site, e até o último segundo eu ainda tinha dúvida se voltava pra casa depois do estágio ou não!
     
    O filme em questão foi o que mais me chamou atenção,mas depois de algumas escolhas erradas fica dificil ficar segura da escolha! Até o último segundo tive dúvida, cheguei no cinema no exato momento em que a sessão começava, vi o cartaz que ainda não tinha visto e não gostei, parecia ser uma comedia romantica ambientada em Natal americano, ( a maioria não me agrada),  e a descrição ainda dizia: " Uma comédia Romântica Ácida e Engraçada.".
    Foi o ponto para meu lapso de certeza: " Vou ver "La vida útil- um conto de cinema."" que começava dez minutos depois e já havia sido muito premiado, ( Ainda volto para ver este), mas minha certeza logo passou.
   
   Lembrei da Sarah Polley, imaginei que alguém envolvida de qualquer forma com um filme como "Minha VIda Sem Mim" não poderia me decepcionar. A principio pensei que ela estaria no elenco e me surpreendi quando descobri que era na direção mesmo.
   Além disso observei o título , seguindo minha experiencia, achei que um nome tão simplorio  e previsível em portugues, só poderia  ter por tráz um lindo filme com um ótimo título original. Logo lembrei de de "Namorados para Sempre" sem nem saber que a atriz protagonista dos dois filmes é a mesma. Enfim... meu cerebro em segundos fez  as contas dos prós e dos contras, e tendo como referencia " Minha Vida Sem mim", "Namorados Para Sempre", confiando na sacanagem típica que o Brasil faz com os títulos dos filmes e com o grande peso da Sarah Polley no meu conceito, pedi pra moça da bilheteria, 'Uma meia pra Entre o Amor e a Paixão", em seguida pensando;" Perdi mais 11 reais do meu limitado dinheiro..."
   Enfim se eu ainda tinha dúvida ela se acabou com a primeira cena do filme, respirei aliviada sabendo que tinha feito um ótimo investimento, já a fotografia, a arte em volta dela, a trilha sonora( ainda descobrirei qual a canção que toca no começo, estou escutando toda a trilha sonora de novo agora). Juro que senti cheiro de bolo enquanto a personagem mexia ao forno, e mais tarde senti cheiro de café enquanto seu esposo o passava, tal a forma que me envolvi.
   A história gira em torno de um triangulo amoroso,mas descobri que numa boa arte cinematografica do que trata a história não muito define sua qualidade,mas todo o conceito de vida, de arte de cinema, sensações e interesses que há por traz dela. "Take this Waltz" foge á obviedade!
  Da pra ver como muitas pessoas caminhando numa mesma direção adquirem um ritmo que parecem dançar!
  Oh e como passa longe de " Uma comédia Romântica Ácida e Engraçada" ( ainda não formei opinião sobre este método apelativo de criar uma ironia na descrição, quase deixei de ver o filme por isso) ele è um filme sim ao som de uma valsa, como diz uma critica que li na porta do cinema, depois que sai ( na entrada não deu tempo). Humana e real,sem vilões tradicionais, emana amor, em todos os lados. Margot, (Michelle Willians) vive em conflito entre seu casamento e o vizinho, este é o grosso do enredo, todo o resto é poesia. Como a forma como o jovem casal expressa seu amor um pelo outro, e neste sentido a última cena destes em que um " Eu queria arrancar seus olhos com a colherinha nova que comprei" expressa um melancolico e emocionante " Eu ainda te amo!"
   E o que dizer da cena central do filme, em a que entendemos porque o filme tem o nome da música de Leonard Cohen que lhe serve de plano de fundo!
   Creio que não estar sendo fiel à metade da poesia do filme, e não tratarei de narrá-lo aqui, peço encarecidamente que leiam a sinopse em outro site se meu texto desperta-lhes o interesse.
  Vale por tudo, pela magnifica atuação do elenco, ótima direção da Sarah Polley, muito carrega da poesia de Minha vida sem mim, para quem o conhece e muito carrega do que há de bom no cinema, muito me faz entender porque o cinema ainda é considerado uma arte e da beleza e completude artistica que esta possui em potencial!
   Valeu-me tambem pelo tempo de concentração somente possivel no ar-condicionado do cinema( é o verão no Rio de Jaaneiro), por poder pegar meu caderninho e anotar alguns pensamentos e sensações curtas no meio da sessão, formada em 90% por pessoas da terceira idade! Valeu-me pelo bem -estar de corpo e alma, somente lamentei por não ter o DVD para poder ver no outro dia de novo, este com certeza entrará um dia para minha coleção ainda curta!
  Espero que valia à vocês também!!!!
  Seguirá aqui, grande parte da trilha sonora para que possam se deliciar!!! Espero que gostem!!!!

  Fasciculações a todos!!!!



Crítica da Porta do Cinema:

http://www.criticos.com.br/new/artigos/critica_interna.asp?artigo=2505

P.S : Seu fizesse um trabalho tão lindo num filme e o nomeasse tão coerentemente de acordo com uma música que muito se encaixa no conceito do filme e alguem o colocasse um nome simplóriamente limitado como "Entre o Amor e a Paixão" eu o prcessaria por danos morais e ajudaria no processo para criar uma jurisprudencia no sistema judiciário( risos)


sábado, 1 de dezembro de 2012

o segundo em que eu vi o mundo

Veio assim concreto,
firme, seco e real,
sem névoa em cor
perfumada  e encantadora
sem sorriso mistério
sem mágica,
Fiel,
Como o olhar estranho
da dia que me observa
Eu vi!
Simples como o retrato social
que  me localiza,
prévio previsto
como um engano!
Foi leve
como a vida das amoras,
como o mar de Tom Jobim
e eu livre,
confusa me confundi
ciente ainda quis seguir
o que anda a me incomodar
tentando um bom novo olhar
pra não me comprometer!

Fasciculações a Todos!!!!






terça-feira, 20 de novembro de 2012

Vai ver

Por:   Mallu Magalhães
 
 
"(...)
 
Vai ver amanhã eu acordo cedinho
só pra ver o sol nascer,
e esperar mais.
 
Vai ver amanhã eu pago as contas em dia,
pra ficar mais calma,
e esperar mais.
 
Vai ver amanhã minha cabeça pára de girar,
e volta a dar passinhos de sabiá,
e esperar mais.
 
( Olha, eu, sem par, fico torta pro lado errado. )
 
Vai ver amnhã meus problemas todos somem,
viram nuvem, e chovem,
e eu espero mais.
 
Vai ver amanhã eu recebo alguma notícia boa,
e minha vida finge que melhora,
e eu espero mais.
 
Vai ver amanhã eu escrevo uma canção bonita,
e canto pro meu par,
e eu espero mais.
 
( Eu, sem par, fico torta pro lado errado. )
 
Vai ver amanhã eu viro eu,
viajo até meu par,
ou espero mais.
 
Vai ver amanhã eu saio na rua,
corro por meu par,
ou espero mais.
 
Vai ver amanhã eu tiro o pijama,
m’arrumo pro meu par,
ou espero mais.
 
Vai ver amanhã eu vou fazer meus óculos novos,
pra ver meu par,
ou espero mais.
 
( Eu, sem par, tô tão torta pro lado errado. )
 
 
Vai ver amanhã eu começo a ver
ou fico mais cega ainda,
pra esperar mais.
 
Vai ver amanhã eu vejo quando o Brasil entra em campo,
ou eu compro umas bandeirinhas pintadas de pátria,
pra esperar mais.
 
(...) 
 
 
Fasciculações a Todos!!!!
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 


terça-feira, 13 de novembro de 2012

De volta pra mim

 



Eu sonho um sopro
que me conte de ti,
os medos e mistérios
do seu temor,
seus contos em profundo
eu sonho, ao certo um assunto
a poder lhe entender!

Um dia seu a mim,
de certa contradição,
eu sonho pois. compreender
o grau da sua confusão!
E deste estúpido que repreende,
eu sonho sentir o cheiro
por horas que apenas contam
a dor sempre a ti presente.

E ando por me fazer
o vento a prestar por mim
eu quero apenas ver
a luz que te fez assim!



Fasciculações a Todos!!!!
 
 
 





domingo, 11 de novembro de 2012

Pra Derreter

Derreta-me neste vão de amor
incomparável a qualquer rimar
vítima do bom sorriso e
escravo à expressão no olhar!

Derreta,
por me acampar
ainda sem  ser assim,
um ronco de dor pensada
que carrega a beleza sua,
digere a palavra em mim!

Derreta por possuir
um canto a contar por si,
e palavra que ja imageia,
uma cor que sequer em veia
expressa o que quer servir

Que eu sigo
já como nunca
com um pássaro a me iludir,
sem conto a contraverter
a sombra do que perdi!


Fasciculações a Todos!!!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Luvas Cárdiacas

Controle meu corpo por sensações
e sublimezas de corações
que luvas cárdiacas
curarão meus rancores!

Enlouqueça-me
banalmente de curiosa,
Se eu não puder te mostrar
como fraca respiro e me envolvo
à agua morna do mar

Gritos sem voz
quebram o silencio
quando me encontras
solta no frio.

Jamais saberá
por meus olhos
ou pelo expresso a tocar
A força que vibra em esporos
o tamanho que é meu arrepio!



sábado, 3 de novembro de 2012

Coração de Adolescente - parte 3


São tolos
todos sinais de alegria,
como ridículo
todo olhar simploriamente
compreendido.
E se, limita o corpo
 a vontade da razão,
não a força infantil
de querer gritar.!
Entenderá projetos
a logica do desgaste,
Ou desgastará o corpo
novos projetos de lógica!

Em cada pulso que persiste
nasce uma nova vida
ao ceu,
e cada sim progredido a belo
esperança um fio
no almoar da  humanidade!

domingo, 28 de outubro de 2012

Perto do Fim



Eterna uma era
encontrou-me
num giro ao sol.
De palavras e encantos,
sonho, olhares
e a presença bela de vida
lindamente desconhecida.

E vai-se...

Longe como o azul
que faz proteger-me
sem me tocar,
Belo como a saudade
forçosamente fazendo imperar-se,
vítima do tal previsto
que nos une.

Eu sinto como o último suspiro
o encontro que me faz faltar
ironicamente por culpa  de ti
simbolicamente ao cruzares a porta
e eu sem ver-te partir!

Fechando o eterno
de um jogo de pulsações
constante em significar,
estranha-me já o espelho,
na volta do que me importa,
no vento a trazer-lhe a porta
e meu corpo a vestir vermelho.

E aos planos inconcebíveis
se prova outra vez real,
Eu lembro de cada luz,
eu nunca vou ser igual!!!!



                                                         Fasciculações a Todos!!!!

 
 

 
 
 
 


sábado, 27 de outubro de 2012

Céu de Maio

 


Pela janela ventarão seus segredos
numa conspiração de
complexos pensamentos
em contra partida
às ilusões quentes que fecham
o ceu de maio.

E do meu ócio
reverberará um suplente
mundo mágico
a nos paramentar.
Algo belo a revelar
o sopro vida adentro
no escuro de um lábio memório
no sorriso a poetizar
o ceu de maio,
no canto de cada infante,
no ócio a contemplar palavras
de um suspiro,
no orgulho do cheiro do ar
e na calma de uma vida livre
Consciente de libertar!



                                                  
   Fasciculações a Todos!!!
 
Fonte Fotografias:
 Mara Eliane Maduel http://www.clubedeartesanato.com.br/trabalhos-amigo.aspx?Id=151
 Ceu estrelado: http://veliqs.blogspot.com.br/2010/03/queria-ter-uma-varanda.html



P.S: Após fazer e titular a postagem, buscando uma imagem para ilustrá-la descobri que no mes de maio deste ano houve durante todo mÊs uma chuva de meteoros, talvez isto diga algo, mas é mais provavel que não, mesmo assim é uma curiosidade,rs
http://pequenoastronomo.blogspot.com.br/2012/05/ceu-de-maio.html#Label1

Versos Soprados Pelos Ventos do Outono


        Atenção meus queridos leitores e visitantes, já se encontra à venda a antologia de poemas que conta com um poema de minha autoria Canto ao Corpo [2011], conforme já disse aqui há um tempo, no site  de vendas da própria Big Time Editora.
       Também há diversos outros poemas de muito boa qualidade, a quem se interessar segue o site:



 
 
Muitas Fasciculações a Todos!!!!
       

                                                             

domingo, 14 de outubro de 2012

Negativo de Palavras

Seu nome em garrafais
atingiu-me familiar
como a volta da caligrafia
de costume a me identificar.

A rima que te envolveu
por meus versos se empobreceu,
ante a grandeza da bela proeza
 no seu brilho a criativizar

"Ade", mocidade
Belo, criatividade!
Sonho  de palavra
sem limite vocabular

Ode fino ser
não tão forte a aceitar "você"
Nem pior do que transformar
cada verbo, substantivar.

Por final não virtude vem
ser tão pobre em atingir ninguém?
que começo a me orientar,
pode as palavras se negativar?

 Fasciculações!!!!
 
 
 
 
 
 

sábado, 13 de outubro de 2012

Irrealidade (virtual)

 
 
Eu uso o chão para recordar,
mas justamente não há,
lembrança a me conduzir,
nada pra além daqui
conclui o meu ansiar.

Nada consta ao futuro ir
de real que eu não construi
de projeto que eu não forcei
de verdades que não inventei

Tudo além da beleza idade,
e não fruto da mocidade,
vivem vidas que adquiri,
vivem fatos que à luz eu dei
Nasce ideia a me alimentar
nasce o mundo pra me abrigar
tendo ainda o que eu discordei.

Fasciculações a Todos!!!
                             

                              



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Inspirar

Chega-me o arrepio, a incontrolância
a profundeza e o mergulhar,
o sorriso e o encantamento
o pulso do expressar.
Chega-me o projeto
e o que não falar,
chega-me a ideia
 e o que  ignorar.
E quando chega-me o suspiro
eu penso logo que virá!

Chega-me o papel
lembrança a recuperar,
Volta o frio ao ambiente,
e eu penso que vai voltar.
Apelo ao canto solto na pele
que por fim não ousa falhar,
tiro letra no complemento
e nada há a escutar.
Então contento-me em perceber
a falta do que não há,
e baixo ouso profundo,
contento-me em me calar!





      Fasciculações a Todos!!!!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Choro





Vem descansar menos
meus argumentos!
Salientar moções de vida
a um conceito terapêutico de luz!
Vem inaugurar o silencio que me constrange
enquanto eu quero ser feliz.
Larga-me no fruto do socorro
que me cai feito chuva
deserta de desligamentos,
e suprime as palavras
que no auge da formação
desista de construir
frações do meu contemplar!



Foto de : Tatiana Jardim



                                                        Fasciculações a Todos!!!

domingo, 30 de setembro de 2012

Inaugurações verbais

    

     Venho assim crescendo sem poder entender, porque se deve sempre seguir ao primeiro, o vazio de uma vida inteira sem inaugurações!
    Cresço sem sequencia, e não se inaugura palavras em mim, por mais que fatos se transformem leve e continuamente!
    Saudades, e saudades da minha antiga forma de sentir saudade, me percorre em zigues-zagues, de sorrisos e lágrimas, não podendo minha alma classificar quem seria mais retribuidor.
    Pesa meus olhos as dores de uma incompleta lembrança escura!
   Saudade assim da dor de ontem, que mais belamente me consumia do que hoje sua ausência me consome!
    Oh complexidade tola, a que precisa um sonhador  para viver!
  Apego sublime de um isolamento incompreensivamente incompreensivo. Voltas e vogais prontas a decodificar os sinais da beleza que ilumina lábios agora compropriedade distinta e distante das tolices que me passavam a mente.
   Apreciam as vozes meu ouvido acalorado de emoções mesmo se omitindo minhas palavras! E agora se cala em fluxo, o lote dos sorrisos que me embriagam!



                                                 Fasciculações a Todos!!!!


                            

     

sábado, 29 de setembro de 2012

Paciências

Caminhos e mensagens submetem minha razão
 e as respostas não me satisfazem.
 Não correspondem delírios aos meus pés,
com os sorrisos que recordam minh'alma.

Não faz sentido
as palavras com as minhas dúvidas,
mas faz falta como nunca
trinta minutos de possibidades!

Trinta minutos de sentidos
que programam finalmente
a óbviedade destas palavras.

Falta  tranquilidade
à minha paciência,
Agindo a saudade clássica do que nunca existiu,
mas que para sumir terá que morrer!



domingo, 23 de setembro de 2012

À Flor do Sol



Tão mínimos são os momentos
que transmitem a transgressão da dor
a uma alma em transição!
Minúsculos são os sorrisos
que passam meu dia ao sono
e descansam o público
do canto à visão de mim!
Pra finalmente eu poder sorrir!
nas flores a vir com o sol,
e no breve frio a me confortar,
a embelezar traços do meu encanto
descoberto por  doces palavras doces
vindas aos olhos distantes ao meu rosto
nos sentidos da pele que cobre a mim,
que eu mal vi,
mas me incorporou,
bem senti
e me entorpeceu!!!!


Fasciculações a Todos!!!!
 
 

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Camelo Voz e Violão - Teatro Oi Casagrande

                              
                    
                                                       Foto: Priscila Máximo
       Grande fasciculação de uma noite de quarta feira, o show Voz e Violão do Marcelo Camelo no Teatro Oi Casa Grande no Rio de Janeiro, neste dia 12!
       Pouca luz e muita ansiedade recepcionou o cantor ao palco!!! Poucas coisas consiguirão explicar o poder que um homem e um violão podem exercer sobre uma multidão!
       Entre aplausos e canções um silencio magistral pairava no ar !
     Alguém poderá dizer que se devia ao fato de que ninguém queria receber uma bronca do cantor por falarem durante o show (risos), mas eu sei reconhecer uma plateia encantada quando vejo uma!
      Não havia quem não cantasse delicada e afinadamente as tão belas e deliciosas canções tão conhecidas e amadas, formando um coro suave que acariciava inclusive os ouvidos do artista, que em muitos momentos sorria e apreciava suas melodias em vozes coletivas!
     O auge do show  se fez, a meu ver, na execução de "Pois é" com a entrada do rabequista Thomas Roher, aliás acho injusto até que esta turne se chame "Camelo Voz e Violão", afinal a presença da rabeca, iluminita todo o show e transforma o ambiente de forma sublime. 
    Uma magia embala a plateia levando fãs e corações apaixonados à lágrimas! A respiração se controla e se reprime para ouvi-los tocar, que até minha tosse de sinusite silenciou-se  para se apreciar  também.
    A execução de "Porta de Cinema", música composta pelo avô e dedicada à mãe, Ana Camelo, também na plateia,  foi outro  um momento sublime do concerto.
    O repertório não trouxe nenhuma surpresa, se compôs por músicas do tempo dos Los Hermanos, como, Ta bom, Pois é, Morena, Samba à Dois, entre outras ; músicas do primeiro CD solo Sou, como Liberdade, Menina Bordada, Doce Solidão; e do segundo cd solo  Toque Dela representado pelas canções Tudo o que você quiser e Pra te acalmar. Enfim, como de praxe em shows onde há muita opção de canções surgem as faltas e predileções dos fãs. Confesso que senti extrema falta das canções Vermelho, Pra falar de Amor e Alem do que se vê.
     E aproveitando o momento das confissões, faltou uma pontinha de Mallu também! Seja na participação em Janta, ou numa tradicional pontinha em Morena ou até em Sambinha Bom ( composição da cantora e executada pela dupla no último show dele em Porto Alegre).
    No fim ninguém queria sair do teatro, sempre na esperança de que pudesse surgir mais alguna coisinha ou  uma cançãozinha, mesmo com o cantor se despedinto!
   
   A turnê de Camelo Voz e Violão segue pelo Brasil e até internacionalmente nos próximos meses. Que tiver a oportunidade aproveitará grandes emoções!!!!!

      
 Fasciculações a Todos!!!!
   

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Versos Soprados PelosVentos do Outono- Volume 2


     Atenção meus lindos leitores e visitantes, é com prazer que venho comunicar e compartilhar a notícia da seleção de um poema meu ( Canto ao Corpo [2011] ) para compor o segundo livro de poesias da jovem Big Time Editora, " Versos Soprados Pelos Ventos do Outono- Volume 2"
   
     Há um tempo que guardo a emoção e informação, pois minha fragilidade de alma poupa meu corpo até das minhas mais sublimes alegrias!!!!!
    
    Tenho Informações extra oficiais  de que foram mais de 1500 inscritos. Grande honra!!!
 
    O livro já foi mandado para a gráfica, e deve estar pronto para venda no site da Big Time Editora ainda esta semana (informações oficiais) , assim que estiver pronto volto a divulgar!
 
    Gostaria de agradecer a todos que de alguma maneira se envolvem com meus versos, minhas angústias e incompreensões!!!
 
 
 
 
 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Canção à Imaturidade (Para me expor)

 
  
   A medida que escuto inediticidades, cresce meu mais que desejo de expor! Pois cresce-me a alma para além do limite que  se tem  meu corpo se limitado!
   Ando  em desafio de conciliar intimidade e invulgaridade na palavra escrita!
   Desejo  contar-me diretamente,mas a cada nova palavra, digo menos. Abtrai-se mais minha dor e setimentos mais que vulgares e impoéticos nas voltas que digo, pois passariam milhares de olhos por minhares de meus caracteres, sem um ao menos sorriso em desconfiança.
   Olhos que desejo ocultar-me por trás e pelo meio em evidencias supostamente fantasiosas.
   Vejo assim então, como versos e compostos linquisticos transformam meu tão singular arrepio em silábas ditas em todas as esquinas, por todas as vozes que ignoro.
   E ao intento de embelezar meus compostos, afasto-me do meu sempre e constante objetivo habitual. Além do medo e constrangimento que os saberes de mim me expõem.
    Tento violar minhas ingratidões e seguir concientemente me comunicando, mas só consigo pensar em "saudades". Em tudo que vejo, e ouço e falou e corro, há sempre saudades rodeando meu pensar, em nada concreto,mas em uma fase de mim que manipula todos os sentidos de minha extensão.
  
 Ahh, e como admiro quem usa a si próprio para falar da vida! Enrubrece-me tal responsabilidade, que limito aos meus olhos, ouvidos e pele minha análise,podendo  ainda assim não deixar explícito o brilho dos meus olhos!
 
   Pobre de mim também, que talvez ilusoriamente pense não estar deixando a imaturidade tranparecer!
     Tem a imaturidade me soado tão doce!!!
      Em cada olhar indisfarçado, e sorrisos timidamente involuntários que se cruzam em via dupla por mim!
    Saudade! Volta-me como profecias, ou como o corpo que ousa não ,me deixar disfarçar!!!!         Mesmo eu assim, a olhar com tão maus olhos para os atos de minhas mãos!
    Seguirão assim então, saudadeando meus versos imaturos e imaturamentes, até quando poucos necessarios ou lindamente contribuídos pela maturação mor que há de não me envolver!




                                                 Fasciculações a Todos!!!

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Quem sabe isso quer dizer amor...?

      
      Cada dia influenciado por um amontoado de notas influenciam o meu dia! Ainda mais assim quando o me corpo segue ansiando uma volta de sensações, conscientemente fluídas por inconscientes!
       Ja não posso mais falar por falar, pois minhas puras palavras, sem este tom musical ou oculto, já não pode mais me expressar!
      Sabe meu tom lamentar  o anonimato ilimitado que nunca deixará de envolver a imensidão, completude e intensidade dos meus sentimentos.
      E quanto de besteira eu posso fazer sem sair de casa em fragmentos de horas!!!! E quão pouco posso recuperar em uma ausência!!!
     Quantas dúvidas e carencias se envolve nas minhas tolas, infantis e imbecis paixões!!!!  E quanta saudade e seriedade, no entanto, poderei travestir em brincadeiras para supostamente me proteger?!!!!!
     Chega o limite das dores sem prejuízos! O ápice do apredizado, no limite da queda para o fracasso!
    Como o grito que liberta, segue minha esperança, que é tola já por ser esperança!!!!!
    O limite da minha injusta imaturidade!
    O limite da não força em meu olhar!!!!
    Chega-me o princípio da coragem, ao mesmo tempo que não me chega nada!!!!
   
     SOU EU QUE CHEGAREI!!!!!
 
   Quem então assim poderá me explicar como a solicitude do ouvido ampliará a força que diz respeito só a  mim? Como cada verso de maior exposição, sai de mim com o triplo o tom de liberdade que à metade do real deverá coincidir?
   É assim toda canção de amor uma oração!!!!
   Assim como a insatisfação subliminar, determina a proporção das verdades, se apega meu amor à liberdade cedida e consedida neste ato!
   De onde sairá meu suporte, se acredito-me eu maior que as verdade que me cercam!?
  Oh, já ricamente não irei me injustiçar com tal inverdade cruel! São sim os alvos de minhas lutas e ganas o real prejudicador da minha alma! Mas minha força é muito menor do que se aperenta em meus olhos falsos em espertezas!!!
   Não pode minha imagem dizer o quero sobre mim... diz ela muito mais do que sou capaz de expressar! Completamente me entende quem atravessa os olhos sobre mim, mesmo quando engano-me com a incompreensão para vergonhosamente ocultar minha exposição e a verdade dos meus olhos.
 
   Cura-me cada voz, assim como aprisiona-me o sentimento travestido em libertação!!! Sofre realmente meu coração, mesmo quando orgulhosa, digo-me imune!!! E ainda assim, contraditoriamente ou não, orgulho-me desta minha libertadora fraqueza universal!!!!
 
Fasciculações a Todos!!!!!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

sábado, 11 de agosto de 2012

Poema Nú!


Salve um sorriso
a tapear meu arrepio
e avance a sublimeza
que derroca meu existir!
Cante livre,
que o ceu estará em ti,
enquanto houver amor em cada prazer!

Não confunda meu olhar
que eu inverto os desafios!
Desafie o limite
e arranque a sua roupa!
Faça da vida um lar e
proteja seu corpo belo
desta mal-intencionada culpa.

Arranque-me
enquanto eu puder me salvar
e leve meu medo à fonte
do brilho que corre no ar.
Sustente a carta que pude incorrer,
lembre o  sonho que eu quero mover,
e faz do momento então,
o cheiro que reina minha mão
que  nada ao menos vou viver!

Cure a palavra que eu desencanto,
que a vida são almas que tentam
una ao meu medo
o sonho que resta-me ainda,
una ao sustento traços da sombra perfeita
e assim vai esta meu tormento
na sofrida do calmo sossego
que interroga a cruel cortesia!




sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Fotografia

     
     Nascem muitos dias,
passam ondas e horas
    Caminhadas e desalentos,
  luz e desilusão
e no meio da imensidão perdida
   de arquivos iluminados,
lá está o mesmo
  sorriso menino
tímido de medo,
ou víbrido de emoção
cego de prazer
ou oculto em constipação
mascando o ser
desinformando a informação!
Misterando o viver
 descascando a opinião!

 

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Gente assim se engaiola



Gente assim se engaiola!
A ver um mundo
inteiro como o ceu que nos cobre,
mal vivendo por pobre alma
que  universo nada será
que  pequenos mundos
não-universalizados.

A cada nova manhã
Que me acerco estar fugindo,
 bastam momentos,
vivos de inconvivencia
pra terra vir me provar
nada não intercedência,
meu constante internizar.

São constâncias do meu lar
Ora sublime,vez a envergonhar,
Sinais da meninez
Que eu busco desconversar!
Sinais dos tempos
Plagiante por excelencia
Por quem há nunca de comprovar,
(Por quem há nunca de me provar!)


terça-feira, 31 de julho de 2012

Para os meninos e loucos (O Mundo em Mim)

    Não fosse essa minha longa ansiedade de me encontrar, eu logo perceberia que perdida sou bem mais interessante!
   Esta minha preservável infância, faz-se bem menos arrogante quando  notoriamente insegura! Como quem se auto indica louco e vive.   
   Julgo-me por critérios que deprecio, critico-me por motivos que admiro, nada mais nada menos porque eu sou o mundo que deprecio! Tenho os medos e virtudes tortas e asquerosas que dedico minhas forças a derrotar! Eu busco me derrotar para viver, para me recriar!
     E assim sou meu verdadeiro impedimento para sorrir descontroladamente!
     Assim como ao falar de mim, lembrar-me daquilo que não orgulho, por achar belo buscar correções onde julgo-me mais contraditória.Mas isso não se faz no mundo... fazendo-me assim já cá estar eu  imediatamente me contradizendo e pouco sorrindo.
    Poderias entender como passar um dia assim? Talvez todos!
    Mas do que belo ser louco ou criança (tornando arrogante tal autodenominação), manter-se afastado do real, ou permanecer-se menino faz-se uma covardia frente aos lutadores de alma. Lógico e gratificante é ser  coerente, entendendo e convivento com o real e suas dores.
                                                     

Fasciculações a Todos!!!


                                                       

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Exclusivo Incomparar!

Eu sonhei com exclusivos elogios privilegiados!
E Sonhei que só meus olhos podiam ver as belezas do mundo.
Que eram minhas palavras o auge  de consciencia do oculto.
E que de mim partia uma sublimeza que encantava os desatentos e não reconhecia semelhantes.
Eu sonhei!
Sonhei com  luzes que me cobriam, e de olhos fechados, ninguém mais me atingia.
Sonhei assim, com a esperteza do pestanejado e a distância do incomparado!
E assim mesmo, sem técnica nem requinte, eu Acordei!
Enquanto palavras belas me esperavam ao lado da cama.
De frente para meus olhos abertos!
Bastava eu olhar!

domingo, 22 de julho de 2012

À Óbvia Oração





Nascem mil balões
com raros orgulhantes,
a cada disputa que me extermina,
cada busca no aperto inconstante.
Nasce o frio da minha luz
contra o mundo em larga escuridão.
Cresço ontem,
cresço agora
e cada espelho rua afora
desextende a minha imensidão.

Ilumina o guia meu
rara letra de inconsciente,
faço lenta a estação
despedaço constatemente,
como flores de mundos secos,
longe amora de óbvia oração,

Vem cantar a orelha infantil
vem sorrir com o breve de um cão
deixa do voto em visão mercantil
deixa à vida eu criar solução!


sábado, 21 de julho de 2012

Pra contar minhas alegrias!

    As minhas agonias me abalam muito, mas são sempre minhas conflituosas alegrias que me impedem fugir de crescer.
    São sempre as dúvidas, que rigorosas impedem minha euforia descontrolada querendo levar-me não sei onde. São as questões que me colocam meu lugar, questionando este lugar constatemente desconhecido. São,contraditoriamente os números dos dias, responsáveis por controlar o teor das minhas palavras. São meus pesares quem me engrandecem, e constantemente, meu orgulho quem me diminui!
    É a falta do choro que me suprime, agarrando, protetora e urgente, desajeitadamente a minha mão.Torcendo meu braço para evitar uma queda do abismo. Sou eu aqui novamente cantando coisa nenhuma, e que alguém provavelmente, para tristeza do mundo, poderá me entender.
   E olha que vim eu falar das alegrias! A quem pode não me entender, é verdade que me encanto com minhas tristezas belas, assim mesmo enquanto elas me doem, me alegram as dores poéticas, mesmo as minhas, afundam-me apenas as destruições de alma que o mundo sugere ao ser.
   Digo apenas que voltarei, mais eufórica ou depressiva, mas amante!


                                            Fasciculações a Todos!!!!


P.S;  Informo também que em breve voltarei com boas notícias! Notícas Lindas para mim, mas que julgo não desagradará a nínguém!!!!!:))))




segunda-feira, 9 de julho de 2012

Pobre Pensamento Meu

Quem és ,
pobre pensamento meu
pra ousar falar da vida,
a vida assim como nasceu,
caminhante em seus mistérios
vinda da idade da luz
Certa ao pisar meus papéis,
livre das vozes que induz?
Caminhas bem, então
ao andar cuidar de ti,
dos prazeres que advém,
dos anos que pouco seduz,
aos dias portanto perdidos,
cuide então do que é concedido
ao breve do que te conclui!

domingo, 8 de julho de 2012

Saudade(ar)- Há

O frio não tritura minha pele

ao deixar-me isolada em cor,

como seus olhos em mistério

a fazer-me decifrar!

Nem a breve música alta

põe mais o equilíbrio em pauta

Como o sorriso que sai de sua alma

dedicado ao mundo em mim.

E colore minhas dúvidas

o suspirar dos meus encantamentos,

mais que o real desespero

quando foge o distanciamento,

e logo então minhas lágrimas

de palavras vulgarmente compreendidas

sorriem frente ao tempo

do fulgaz insilenciamento

que controlam-me cada músculo

e cada obra do meu sentimento

que pode meu corpo

lindamente expressar.

E então eu vivo a me orgulhar

de cada nova confusão

que alimenta meu crescer.

e lingua passa a também me encantar

como a aproximação lijongear

o simples do meu desejo,

o desejo do meu simplificar.

E os sonhos não mais me contemplam,

e os medos jamais me enferrujam

se eu posso em breve cantar,

o expandir de alma

como meu novo lugar!



quarta-feira, 4 de julho de 2012

A Poesia



O pão se poupa caindo ao chão,

e a taça se equilibra a cacos,

a faca pacienta a pele,

a luz desencanta o fogo,

e o brilho emudece a fé.

A dor encanta o encatador

o vaso prende a terra ao se espalhar,

a flor umidifica a água

o vento leva o que é de mal.

O canto traça a linha nota

o número liberta o vivente lar,

palavras completam a emoção,

saudades carregam a matéria lida.

O sangue cuida do medo,

a morte se santifica livre,

o certo modifica o belo

o belo se apresenta bom.

O dia acorda bem vindo,

a lingua expressa o ocular,

a Terra move o desigual

o vivo contagia o sono,

a dor desencanta o encatador

o certo compreende a vida,

a música se preserva tacta

o "in" se fabrica ao novo,

a dança salienta o riso,

o corpo move lentamente,

o sono liberta a frio,

o arrepio se supera bem.

o corpo se adormece lindo

a alma se transporta em lagrima

a gota faz da vida Deus,

o quente compreende o mudo,

o mundo desintegra a força,

a lógica faz papel real,

o longe torna o tudo claro,

o escuro ilumina o nado,

a agua passa a vida indo

a letra se confunde linda

o grito se tranforma em sono

é o sono que desperta a cor

e a cor faz do aqui sublime

e a cor se ausenta breve.

O sujeito faz segredo o simples

o amor só complica o belo

a palavra se orienta tonta,

a palavra se ausenta livre ,

o compasso interdita o fim

o completo santifica o ir

o minuto salienta o vir

o perfeito alimenta o aqui

e é então assim

pura, quente , nobre,

alva, negra e fria

que o meu corpo se desorienta

a minha vida antes se aposenta

pra viva entender por fim

o canto do que é a poesia.