" Pastora de núvens fui posta a serviço
por uma campina tão desamparada
que não principia nem também termina,
e onde nunca é noite e nunca madrugada"

Destino - Cecília Meireles





domingo, 30 de outubro de 2011

Reticências- Pensando... Pensando na vida!


   Tenho achado a  vida tão curiosa!  A vida não acabará tão cedo, oh não, estamos na pré- história da vida! A vida parece ter vida própria no meu corpo.
   Andei passando por motivações, cruzei várias vezes o caminho pela estrada principal, observei e ouvi falar das novas entradas, mas segui... caminhei... caminhei e quando já estava longe... voltei e peguei aquela estrada e não poderia tê-la aproveitado melhor.
    Pobre de mim que penso dominar a vida, minha vida mãezinha! Que parece me impor as angústias, as dores, as euforias e toda minha paz. A vida me é o próprio mistério!Sinto-me tão miúda... e nunca amei tanto as reticências como quando ao pensar na vida.
    Eu sei que não deveria estar dizendo palavras assim, posso ser mal interpretada. Quero deixar bem claro aqui para que quem me leia não me considere contraditória, sou assumidamente Marxista, amparada no materialismo- histórico-dialético, e sei que são unicamente os homens responsáveis pelo rumo da história da humanidade, mas não estou falando de política! Refiro-me a algo maior, a algo que prende ao seu corpo  tudo aquilo que parece não fazer parte dele, ao aleatório, às características que são suas...
   O que na verdade sou eu? Sou realmente responsável pelo que faço? Não pelo que faço de ruim, mas pelo que faço de bom sem me esforçar, sou realmente eu que controlo tudo que passa por mim? Seria eu um poço de reações? De reações inesperadas? Penso assim já me supondo livre, livre das imposições sociais, do querer manipulado, não... não... para além destes descontos.
    Outro dia mergulhada em devaneios fiquei a meditar; A vida deve está sempre a nos usar, fiquei pensando que o mundo, a própria vida, deve ter um objetivo muito maior e mais importante que nós e que para que ele se realize é fundamental que nós estejamos vivos, nós como humanidade. Nunca consegui entender porque a vida  quer tanto nos ver vivos, nos dando reflexos, defesas... a ela não importa como viveremos, pois ela nos permite adaptar as mais diversas(e desumanas) condições, ela nos usa sem remorso, para ela pouco importa se seremos felizes ou não, ela só quer que fiquemos vivos...
    Outro dia, então ignorei tudo  isso, ouvi uma palavra, fiquei tão feliz que logo pensei que a vida realmente me amava. Eu não sei de onde vem os pensamentos mais confusos que tenho, as palavras que realmente parecem expulsas (e não criadas) por mim. Mas de onde viriam elas... ? De onde viria eu...?
  Penso que só conseguiremos responder estas perguntas  após vencermos a vida, após dominá-la... Mas não é este meu objetivo... Jamais será, reconheço bem seu poder e é a única de quem aceito com calma e sem culpa toda forma de dominação!



      Esta postagem é uma resposta à  postagem  " Pra Pensar na Vida" do blog " Vou Fazer Cena, Amor" da Laura Souguellis. Vale a pena conferir!



Fasciculações a Todos!
  

   
    http://voufazercena.blogspot.com/2011/10/pra-pensar-na-vida.html

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Não Precisa Morrer pra ver Deus- (Caetano e Criolo - VMB 2011)



   Fonte foto: http://www.dicasdiarias.com/show-do-criolo-em-sao-paulo/
   
    Mesmo não me reinando o clima especial, inato ao dia que costuma imperar quando decido criar uma postagem, sei que não posso deixar pra amanhã tamanha fasciculação. Deixando-me influenciar o mínimo possível pelas diversas matérias e comentários que provavelmente encontrarei a respeito do acontecimento ao longo deste dia inteiro, venho expressar minhas quase puras impressões.
   Sentando na sala perto das 23h, minutinhos preciosos passaram-se até que eu me lembrasse da premiação do VMB 2011 na MTV, com as mais diversas expectativas mudei de canal, e se o tempo e o mundo não conspiram, o santo do VMB,ou mais provavelmente o meu, é forte! Deparei-me com o ponto alto da premiação, a maravilhosa e pra mim indescritível apresentação do Caetano Veloso e Criolo, da música do último “Não existe Amor em SP", no bem exato momento em que ambos dividiam o palco.
     Então se unindo minha apreciação pela música, a linda contradição que para mim é o Criolo, com sua aparência parte tímida, parte segura, parte indiferente, parte atordoada, parte inconsciente, ao mesmo tempo em que tal canção expresse tão completada sobriedade, a completa surpresa da apresentação e mais que isto, o poder que representa o Caetano Veloso, por toda sua história, seu significado para música. A sensação pra mim de está vivendo em um tempo em que a música não está sendo coadilvante, que diferente do que ouvimos todos os dias, a música brasileira não morreu, e nós ansiosos por qualidade e por novas emoções, se deixarmos de preconceitos com nossa era, encontraremos muito o que contar a nossos filhos.
    Sem dúvida presenciei na última quinta talvez minha maior fasciculação frente a TV dos últimos tempos. Não posso precisar, contudo o significado de tal acontecimento, e mesmo que não signifique nada, acaba significando que facilmente poderá significar!
    Gostaria muito de tecer minhas impressões em momento de maior inspiração, com tema tão sincero e inspirador, mas o misto de ansiedade e compromisso me moveu e agora está registrado, sentindo-me livre para expressar expressões futuras e tudo o mais no gênero.


Segue a apresentação da dupla no VMB 2011. Fasciculações a todos!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O pianista do Escuro



                                       Fonte imagem:  http://diariovagau.blogspot.com/2007_11_11_archive.html



Eu vi um pianista na parede,
na madrugada ociosa.
Eu ouvia Mrs Scott e
nem tinha uma caneta.
Um pianista solitário
de nariz comprido
tocando pra mim
uma melodia silenciosa
e eu nem tinha uma caneta.
Um piano comprido
projetado por não sei o que.
Como elefantes de nuvem dançando,
eu vi um pianista na parede,
agora de chapéu
e novamente nariz comprido
e eu nem sei desenhar!
E eu nem tenho uma caneta.!
Um pianista do escuro
que veio tocar pra mim,
e eu nem posso fotografar!
Meu pianista a me ninar!
Eu vi um pianista na parede
e eu nem tinha uma caneta!





                                            

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Íntimo e intimado

   



    Não é fácil, retirar a crise do fundo do período de  mais completa paz.
    Volta aquele medo, tão subjulgado e tão persistente, aquele medo que já faz parte do que eu sou, medo que surge da finalidade, utilidade e de um desespero de vida. Medo que me recua ou me atormenta, e só cabe a mim as alternativas.
    Medo de notar ferido, aquilo que é a mehor, e talvez a única parte verdadeira de mim,. Medo de perceber ignorado as pulsações mais intensas, e os abalos mais sísmicos de minha terra. Medo de morrer, ou de direcionar só a mim a minha existência, de morrer em parte da vida que completa todo o resto.
   Profundo medo do silêncio, da ignorânça e da  indiferênça.
   Medo de doar, não por medo de não receber, mas por medo de que não haja a quem interesse minha doação. Medo de tirar de mim e deixar minhas pobres emoções perdidas e desamparadas no mundo. Medo de ser mal interpretada, de ficar abandonada. Da preparação para este silêncio.
   Medo de desistir do sadismo de minha poesia. Medo de perdê-la ou de só ter a ela com quem contar. Medo da morte, da perda, da vida!
   E não poderia eu ter medo de barata? Pobre barata! Pobre de mim!
   Medo de ter que encarar os olhos de quem me ler, medo de deletar a postagem e medo maior que dê tudo no mesmo.
   Medo dos meus pensamentos que saem em versos.De ficar surda, figurativa e literalmente. Medo de ser obrigada a experimentar outros mundos. Da segurança que prende a vida! Medo de pensar demais de mim.
   Dos julgamentos que eu deveria ignorar. Dos julgamentos que não ignoro.Medo de me enganar.

   Aquele medo que julgo ter nascido comigo e que também temo desampará-lo no mundo.



E para completude de minha fasciculação expressada, segue a canção. Fasciculações!!!




                                                       

sábado, 8 de outubro de 2011

Canto da Expectativa - Pitanga

  
                                           
     E cá estou eu com meu novo doce pertubar de paz, desta vez inédito!
    Sempre habituada a meus limites economicos e sociais  no respeito ao acesso à cultura ,devido ao meu  pertencimento à classe trabalhadora e com o agravante de sempre  habitante de um doce "fim de mundo", após já ter sido assaltada, escutado tiroteio e respirado poluição, vivo longe de casa e dou-me ao luxo de esperar ansiosa para ser a primeira a retirar da loja a minha cópia do Pitanga, novo disco da Mallu Magalhães.
    A Mallu na minha vida é/foi aquela que chegou e que agora não vai mais. Podendo, por sorte ou não, escutar Shine Yellow antes de Tchubaruba, vejo-me agora como qualquer fã de origem e carteirinha, aguardando fascicular com Porque Você Faz Assim comigo e Highly Sensitive tanto comentadas e elogiadas.
    Meu blog sobre minhas fasciculações também já estava faltando uma postagem diretamente direcionada à Mallu Magalhães, embora ela esteja aqui muito mais do que se pode observar.
  Ainda não ouvi o Pitanga que anda circulando por ai, embora não saiba até quando resistirei, mas ansiedade e expectativa nunca matou ninguém até onde chega meus conhecimentos, embora a cada palavra a respeito do disco eu  fascicule um pouco mais.
    Mallu Magalhães,mais do qualquer qualidade musical ou poética, que sou suspeita e pouco idonea pra ousar avaliar, significa pra mim observer e comprovar como as pessoas são menos diferentes e superiores do que somos levados a acreditar, como por trás das mais sensíveis e sábias palavras e melodias, existe alguém quase igual a você, que sofre dos mesmos dilemas que qualquer pessoa que minimamente pense e questione a vida!  Isto pode não parecer muita coisa, mas é fundamental para te auxiliar a descobrir e deixar fluir suas possibilidades. 
  Mallu Magalhães LIBERTA!

   Enfim, vou permanecer a guardar  meu dinheirinho e percorrer as livrarias.Também não ousarei comentar as faixas nem depois de tê-las ouvido, deixo isso pra quem tem mais poder. A quem ficou interessado, nem sei se posso fazer isto, mas espero não ir pra cadeia, deixou um trechinho já parcialmente publicado e que somente aumenta a doce expectativa do Pitanga.

   Fasciculações a todos!!!


video