" Pastora de núvens fui posta a serviço
por uma campina tão desamparada
que não principia nem também termina,
e onde nunca é noite e nunca madrugada"

Destino - Cecília Meireles





quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O Elo Perdido

                                     
    Muito se fala sobre a inexistência de fórmulas mágicas para a felicidade, muitas vezes encontramos pessoas infelizes que possuem exatamente o que  desejaríamos para nós.Mas seria isso prova de sua inatingibilidade?
   O pior é que existem cada vez mais evidências desta hipótese, todo mundo ,ou quase todo mundo, ja se pegou  pensando em um "eu era feliz e não sabia", nínguem é feliz sem saber, muito menos pensando que não aproveitou sua felicidade.Seria isto justo?
   Também muito se diz ser esta a motivação da vida.Será? Será mesmo que a vida perderia a graça se fossem todos os dias como último capítulo de novela das 8? Talvez seja isso mesmo verdade,mas eu sempre tenho dificuldade em aceitar esses conceitos praticamente unânimes com relação à vida, aquele velho espírito rebelde, talvez seja só a adolescencia.(risos).
   Mas há também o lado bom em tudo isso, pouca gente considera-se infeliz por completo.Nunca conheci ninguém que se auto declarasse infeliz, porém conheci alguns que se declaravam felizes,embora com um pouco de dúvida e  pouco êxtase.
   Talvez o erro de todos seja procurar o sentido da vida num conceito geral, um padrão, talvez ele esteja em cada um,em cada vida, não querendo com isso individualizar tudo,apenas reconhecer a especificidade inegável de cada ser.
    Talvez seja nosso modo de viver o elo perdido para a felicidade.Ou talvez ela não exista mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário